Setembro Amarelo

    Contra suicídio, projeto "Vencer na Vida é Viver" é lançado pela UEM

Valorizar a vida não é mais uma questão filosófica ou religiosa: tornou-se questão de saúde pública. A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo, e a cada três segundos uma pessoa atenta contra a própria vida. Os dados são da Organização Mundial de Saúde (OMS) e se materializam, cada vez mais, nos casos de autoextermínio trazidos pela mídia e pelas redes sociais.

Esses números assustam, ainda mais, quando se referem aos jovens. Nos últimos 12 anos, a taxa de autoextermínio na população de 15 a 29 anos subiu de 5,1 por 100 mil habitantes em 2002, para 5,6 em 2014 - um aumento de quase 10%. As estatísticas mais recentes no Brasil são do Mapa da Violência 2017, estudo publicado anualmente a partir de dados oficiais do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde.

Diante dessa realidade, a União Espirita Mineira elaborou e lança o Projeto “Vencer na Vida é Viver”, com o intuito de valorização da vida e o que pode ser feito para melhorá-la. A ideia é humanizar e sentimentalizar as abordagens e informações sobre o suicídio, levando à reflexão, conscientização e consolo a todos sobre a seriedade do problema.

A campanha terá embasamento no Evangelho de Jesus, nas obras de Allan Kardec e na psicografia de Chico Xavier, principalmente.

O projeto é baseado na campanha de valorização à vida da Federação Espírita Brasileira (FEB), e a demanda sempre existiu, mas, em 2017, a questão do autoextermínio veio à tona na mídia através de diversos formatos, entre eles, um jogo virtual disseminado no mundo todo e denominado “Jogo da Baleia Azul”, além da repercussão mundial do livro e série intitulados ‘Os 13 Porquês’”.

A forma como o suicídio é abordado nas redes sociais gera uma abertura para se falar com mais naturalidade na mídia atual, causando movimentação e grande preocupação sobre como a abordagem chega, principalmente ao jovem. “Acreditamos que o assunto é tratado com muitos julgamentos e inseguranças, incompreensão, leviandade e, às vezes, até de forma agressiva. Isso pode levar a pessoa que pensa seriamente em cometer o autoextermínio a sentir-se cada vez mais deslocada do mundo, e cada vez menos capaz de pedir ajuda”, completa Alessandra Castro, da ACSE-UEM.

 

NÚMEROS

Em 1980, a taxa de suicídios na faixa etária de 15 a 29 anos era de 4,4 por 100 mil habitantes. O índice chegou a 4,1 em 1990 e a 4,5 em 2000. Dessa forma, entre 1980 a 2014, houve um crescimento de 27,2% dos casos de autoextermínio entre jovens no Brasil.

Entretanto, não é só o nosso país que registra crescimento dos casos de suicídio entre jovens. Em 2012, essa foi a segunda causa de morte de jovens no mundo, e no Brasil o cenário é similar. Segundo o idealizador do Mapa da Violência, o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, o suicídio também cresce no conjunto da população brasileira. A taxa aumentou 60% desde 1980.

Estima-se que até 2020 poderá ocorrer um incremento de 50% na incidência anual de mortes por suicídio em todo o mundo, sendo que o número de vidas perdidas desta forma, a cada ano, ultrapassa o número de mortes decorrentes de homicídio e guerra combinados. Além disso, cada suicídio tem sério impacto na vida de pelo menos outras seis pessoas.

 

MÚSICA

O título do projeto “Vencer na vida é viver” é inspirado na música “A Vida é pra Valer”, de autoria de André Siqueira (ACSE-FEB) e Alexandre Siqueira, que consta na fundamentação do projeto. A canção foi encaminhada pela FEB como uma das ações da instituição em campanha de valorização da vida.

 

LOGOTIPO

Duas mãos dispostas simbolizando asas, as mesmas (sabedoria e sentimento) referenciadas por Emmanuel e Chico Xavier como instrumentos de libertação para seguir em frente, e em paz. Esse conceito serviu de base para o logotipo do projeto “Vencer na vida é viver”, cujas letras se aproximam mais do público jovem.

A marca traz, ainda, corações no núcleo das mãos, que simbolizam a libertação através do amor e do Evangelho, o acolhimento pelo trabalho e mostrando que a vida está nas ‘mãos’ de quem a possui.

 

Com o intuito de trabalhar a Valorização da Vida e as formas com que o Espiritismo aborda a questão, a Área de Infância e Juventude (UEM) e os Conselhos Regionais Espíritas (CRE), integram a Campanha Permanente lançada pela Federação Espírita Brasileira (FEB) e Conselho Federativo Nacional (CFN), "Eu Tenho Fé na Vida".

Para download do material,

clique nos links abaixo onde há a descrição da arte produzida.

As Instituições Espíritas poderão acrescentar 

as suas logos

nos cartazes e panfletos.

Rua Espírito Santo, 650, Centro - Juiz de Fora - MG - CEP: 36010-040

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram